quinta-feira, 20 de março de 2014

" O amor de Deus me constrange...
Quando vejo um amor que tanto me amou...
Quando cobro de uma vida, amor, eu vejo que não sou fiel ao amor do Cristo pregado na cruz, o filho de Deus o Criador e sustentador de todas as coisas, que podia destruir a todos num sopro, mais deu seu filho pra morrer por mim...
Quando meu filho não me obedece, e eu quero castigá-lo... eu vejo esse amor de braços abertos me esperando com perdão no olhar...
Quando alguém me fere, e ainda inverte a história, e eu fico rangendo os dentes, desejando o sangue dela... eu vejo esse amor me dando uma segunda chance sempre que eu preciso...
Como eu posso estar em paz com a minha consciência se eu não consigo amar e receber o amor de Deus por mim?
Nos enganamos! Como nos enganamos...Quando achamos que temos o direito de sermos perdoados, mais não perdoamos o próximo tão próximo... quando pensamos que amamos a Deus e desprezamos a dor do necessitado à nossa frente... Quando fazemos o maximo pra agradar quando estamos sendo vistos, e viramos as costas à Deus, quando Seu Espírito toca em nosso coração pra levar o pão ao necessitado...
Achamos que estamos com Deus... e estamos tão distante deste amor, quanto o sol dista da lua... dois pólos extremos, tão quanto água e óleo, norte e sul, chuva e sol... noite e dia...
Assim caminhamos enganados "