quarta-feira, 13 de março de 2013



JOÃO PAULO II foi o papa mais amado do mundo,
 em suas andanças mundiais, ele visitou 117 Países,
 concluindo assim, o papa que mais viajou 
pelo o mundo; ele sofreu um atentado em 1.981, 
foi ferido à bala e não morreu, perdurou o 
seu assassino. Morreu em 02/04/2.005 com 84 anos 
de idade.



Mais o que dizem as escrituras sagradas sobre ele?

Apoc. 17;3 até o 5 "Transportou-me o anjo,
 em espírito, a um deserto e vi uma mulher montada 
numa besta escarlate, besta repleta de nomes de
 blasfêmia, com sete cabeças e dez chifres. Achava-se
 a mulher vestida de púrpura e de escarlata, adornada
 de ouro, de pedras preciosas e de pérolas, tendo 
na mão um cálice de ouro transbordante de abominações
 e com as imundícias da sua prostituição. Na
 sua fronte, achava-se escrito um nome, 
um mistério: BABILÔNIA, A GRANDE, A MÃE DAS MERETRIZES 
E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA".


"O anjo, porém, me disse: Por que te admiraste? 
Dir-te-ei o mistério da mulher e da besta que 
tem as sete cabeças e os dez chifres e que leva
 a mulher: a besta que viste, era e não é, está 
para emergir do abismo (ressuscitar dos mortos) 
e caminha para a perdição". Aqui está o sentido,
 que tem sabedoria: as sete cabeças são sete montes,
 nos quais a mulher está assentada. "E são também
 sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro 
ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure
 um pouco de tempo. E a besta que era e já não é,
 é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à
 perdição". (Ap 17.7,11).



Aqui está o sentido, “As sete cabeças são sete
 montes nos quais a mulher está sentada”. Roma
 é conhecida como a cidade dos sete montes, 
ou sete colinas, continuando..."dos quais caíram 
cinco, um existe, e o outro ainda não chegou;
 e, quando chegar, tem de durar pouco..."



As sete cabeças são também sete reis. A cabeça é
 o que comanda o corpo. O cabeça visível da igreja
 Católica é o papa. Então, as sete cabeças são sete
 papas. Mas o anjo disse que as cabeças são
 “reis”. Elas representam então papas, que são
 também reis. Os papas sempre foram lideres e 
governadores da igreja Católica; mas nem sempre 
foram reis. Uma pessoa, para ser um rei, deve 
governar um país. 



Se alguém governa uma província ou um estado, é um 
governador, mas não um rei. A igreja Católica era
 apenas uma denominação religiosa desde sua 
fundação, até 1.929. Neste ano, o ditador Italiano
 Benito Mussolini deu para o papa Pio XI hectares de
 terra, os quais foi fundado o Estado do Vaticano,
 um país independente e monárquico, cujo rei era o papa. 



Pio XI, que era o papa quando esta mudança tomou 
lugar, tonou-se o primeiro papa “rei”. O anjo,
 explicando sobre os reis, disse que “cinco 
caíram, e um existe” Ele leva João para o tempo do 
sexto rei, o que nos mostra que a profecia seria
 entendida quando o sexto rei estivesse no trono 
do papado. A partir de Pio XI, o primeiro rei,
 os papas “reis” que se seguiram foram: 2 – Pio XII; 3 
– João XXIII; 4 – Paulo VI; 5 – João Paulo I; 6 – 
João Paulo II.



João Paulo II foi o sexto rei, aquele descrito
 pelo anjo através das palavras: “um é”. Ele 
estava no poder no tempo apontado por João na visão.
 Centenas de pesoas nos Estados Unidos, Brasil, 
Argentina, e provavelmente em outros lugares, 
entenderam o que foi explicado até aqui nos
 anos noventa, quando João Paulo II estava no
 trono do Vaticano, cumprindo a profecia.



“O outro ainda não chegou”. De acordo com a profecia,
 após a morte de João Paulo II, haveria outro papa
 “rei”, que, “quando vier, tem de durar pouco 
tempo”. O cardeal Josef Ratzinger, um homem de idade 
avançada que não pode se manter no trono do papado
 por muitos anos como o fez João Paulo II, 
foi eleito, tornando-se Bento XVI, o sétimo rei, 
cumprindo a profecia. 



Os próprios jornais confirmam que os próprios
 cardeais Católicos esperam que ele irá reinar
 apenas pouco tempo. 

“São Paulo (Folhapress) - O favoritismo de Ratzinger,
 além do apelo conservador, se dá pela idade avançada 
e pela experiência: aos 77 anos, dificilmente o cardeal
 alemão exerceria um papado extenso.


"E a besta, que era e não é, também é ele, o oitavo
 rei, e procede dos sete, e caminha para a
 perdição". (Ap 17,11). De acordo com a explicação
 acima, o oitavo rei é a besta. O que isto 
significa? Quem será o oitavo rei?



Em Apoc. 17:11, está escrito que o oitavo rei é a
 besta, e é um dos sete reis anteriores. Em
 Apoc. 13, que apresenta a mesma besta de Apoc. 17,
 nós lemos as seguintes palavras: a mesma besta
 que foi vista em Apocalipse 17 é apresentada. 



A profecia afirma que o mundo se maravilhará 
quando ver uma das cabeças da besta 
(um dos papas “reis”), que fora “ferida de morte
 e esta ferida mortal foi curada”. Sim, o mundo 
se maravilhará quando ver um papa “ressuscitado 
dentre os mortos”. A igreja Católica diz que o
 papa tem as chaves da morte e do inferno, e
 Satanás irá, aparentemente, “provar” que isto
é verdade através deste engano. 



Esta ressurreição irá maravilhar o mundo ao máximo.
 Como irá João Paulo II ressuscitar? A profecia 
descreve que Satanás irá enganar os que
 “habitam sobre a terra”. A profecia afirma que 
Satanás engana os ímpios que habitam sobre a terra,
 por meio dos milagres que ele tem poder para
fazer, e diz para os ímpios para que eles façam 
uma “imagem à besta”. Qual besta? “Àquela que,
 ferida à espada, sobreviveu”, o oitavo rei.



Nós já vimos que João Paulo II foi aquele que
 recebeu esta ferida, no atentado de 1.981.
 Satanás diz para os ímpios que façam uma imagem
 de João Paulo II. Estaria a profecia referindo-se 
ao fato de que Satanás estaria dizendo para o povo
fazer uma estátua de João Paulo II? Não, nós vemos
 que não é este o caso, quando lemos o próximo 
versículo 15: "...e lhe foi dado comunicar fôlego
 à imagem da besta, para que não só a imagem
 falasse, como ainda fizesse morrer quantos 


não adorassem a imagem da besta". 



O RETORNO TRIUNFAL DE JOÃO PAULO II:

Apoc. 1;3 Bem-aventurado aquele que lê, e os
 que ouvem as palavras desta profecia, e guardam 
as coisas que nela estão escritas; porque o
 tempo está próximo.


Ps: os termos proféticos: mulher quer dizer 
igreja Efesios 5;25; prostituta quer dizer 
igreja má; águas quer dizer pessoas, povos,nações,
 multidões; isto quer dizer que o retorno de 
João Paulo II vai ser a imagem dele, o corpo 
dele, só que, dentro dele vai está um demônio
 personificado, em nome do papa mais amado do mundo.


PROFECIAS DE MALAQUIAS:

Segundo uma profecia do século XII, o atual
 líder da Igreja Católica, Bento XVI é um
 papa "relacionado com a oliveira". A mesma
 profecia ainda prevê a existência de apenas
 mais um pontífice antes do fim do mundo.



A previsão, citada e frequentemente contestada, 
é atribuída a São Malaquias, um arcebispo irlandês 
reconhecido por membros da Igreja Católica por sua
 habilidade de prever o futuro e que foi canonizado
 há mais de 800 anos.



Naceu em Armagh, Irlanda, em 1094 pertencia a 
uma família O'Morgair. Foi batizado com o nome de 
Maelmhaedhoc (latinizado como Malaquias). Foi
 ordenado sacerdote por São Cellach (Celsus) en 1119.



Depois de sua ordenação continuou seus estudos
 de liturgia e teologia em Lismore, São Malchus. 
Em 1123 foi eleito abade de Bangor e, um ano
 mais tarde, foi consagrado bispo de Connor.
 Em 1132, foi elevado a primaz de Armagh. São 
Bernardo diz-nos que São Malaquías possuía um
 grande zelo pela religião e pela espiritualidade.



Após a morte de São Celsus, São Malaquias 
foi nomeado Arcebispo de Armagh em 1132.



Foram atribuídos a ele muitos milagres durante 
a sua vida religiosa e, era dotado do dom da 
profecia. Foi canonizado pelo Papa Clemente III, 
a 6 de Julho de 1199. Sua festa é celebrada a 3 
de Novembro.



Profecias de Malaquias

Sobre sua morte:


Segundo nos relata São Bernardo, São Malaquias 
anunciou o dia exato de sua morte (2 de novembro)
 estando com ele na abadia de Clairvaux.



Sobre a Irlanda:



Anunciou que a Irlanda, sua pátria, seria
 oprimida e perseguida pela Inglaterra, 
trazendo-lhe calamidades durante 7 séculos, porém
 que havia preservar a fidelidade a Deus e à Sua 
Igreja. Por fim seria libertada e seus opressores 
seriam então castigados. Irlanda católica seria 
instrumental no regresso da Inglaterra à fé.



Profecia sobre os papas:



A mais famosa das profecias atribuídas a Malaquias
 é, sem dúvida, a que se refere aos Papas. Está 
composta por "lemas" para cada um dos 112 
Papas, desde Celestino II, eleito em 1130, até 
ao fim do mundo.



São Malaquias teria tido uma visão durante uma 
viagem a Roma por volta de 1139 a respeito dos 
112 papas que assumiriam o comando da Igreja
 antes do Julgamento Final, quando, segundo 
a Bíblia, Deus separará os bons dos maus.



O atual papa Bento XVI, de acordo com a profecia,
 constitui o penúltimo papa, é o número 111 da
 lista e é descrito no texto como sendo "gloria
 olivae — a glória da oliveira", . Em que sentido
 o atual papa será "a glória da oliveira"? Como
 o ramo de oliveira é melhor conhecido 
símbolo da paz, presumivelmente a glória da
 oliveira é a paz. Assim, a frase sugere que o 
atual papa será um homem comprometido com a
 promoção da paz.



O próximo papa será o de número 112 dessa lista
 e é descrito no texto como sendo o "Pedro o Romano".
 O último papa na lista das profecias papais de
Malaquias é dado não por um mote, mas por um nome
 que não pode ser ambíguo, "Petrus Romanus — Pedro
 o Romano". 



O nome é seguido de uma breve descrição de seu
 pontificado que vai até o julgamento final e a 
destruição da Terra. "Na perseguição final da 
Igreja Católica reinará Pedro, o Romano, que 
alimentará seu rebanho em meio a muitas tribulações,
 depois das quais (Roma ) a cidade das sete colinas
 será então destruída e um terrível juiz julgará o
 povo. "



Quem será "Pedro, o Romano"? E porque receberá 
um nome ao invés de um mote como os outros
 111 papas anteriores? Será Pedro, o Romano alguém 
que nasceu em Roma ou um líder da igreja que passou
 a maior parte de sua vida em Roma, servindo à Cúria
 Vaticana? Nós não sabemos. Precisamos aguardar para
 ver. Mas penso que o mais significativo na frase 
"Pedro, o Romano" é a descrição da natureza
 de seu pontificado.



Como descrição de seu pontificado, a frase "Pedro,
 o Romano" sugere que esse papa reafirmará a 
autoridade papal sobre Igreja Católica. A expressão
 também indica que esse papa reafirmará Roma como
 o local do assento da autoridade da Igreja e requerer
 a fé e o reconhecimento "da sagrada, Católica e
apostólica Igreja Romana como a mãe e mestra de
 todas as igrejas." (como expresso na profissão
 de fé do Vaticano).



 Seu predecessor, o papa da paz, enfatizará o
nem e outras crenças e forçar a unidade religiosa
de toda humanidade sob a liderança espiritual do
Papa. Mas Pedro, o Romano, trabalhará para 
assegurar a supremacia da fé Católica Romana e Igreja
Católica Romana sobre todas as outras 
religiões e denominações. Sua autoridade será sobre
todos os cristãos e sobre todos os povos do mundo.
Parece que a paz promovida pelo 111º. Papa será 
seguida por uma tempestade quando vier o último papa.



 Existem semelhanças muito interessantes entre as
previsões de São Malaquias e os papas. João 
Paulo II, por exemplo, foi descrito pela profecia
como "de labore solis" (do trabalho do Sol).



João Paulo II nasceu em 18 de maio de 1920, mesmo
dia de um eclipse solar. E foi enterrado em 
8 de abril passado, quando um eclipse parcial 
pôde ser visto nas Américas. Alguns lêem
a previsão relacionada com o papa morto neste 
mês de forma menos literal. Ela se referiria 
ao local de nascimento dele, a Polônia, que 
fica no Leste Europeu. O Sol nasce no leste.



Uma coisa é certa, de acordo com a profecia de 
São Malaquias, falta apenas mais um papa (o Papa 112),
aquele que virá após Bento XVI. Será durante o 
próximo papado que virá o fim do mundo? De 
acordo com a profecia de São Malaquias é exatamente
 isso que ele disse. Resta, portanto, esperar para ver.




MALAQUIAS



 Malaquias de Armag foi contemporâneo e amigo
do grande Bernardo de Claraval, fundador da
poderosa ordem militar esotérica dos Templários.
 Este monge, que, na verdade, era um Iniciado
e grande clarividente gnóstico, escreveu 
uma série de profecias sobre os tempos do fim. 
Porém, para não ser perseguido e morto, viveu
discretamente entre os monges católicos.



Foram descobertos no Museu do Vaticano textos 
manuscritos do Malaquias, bispo irlandês do século 12,
 e esses textos proféticos citam o fim de nossa
 civilização, não como outros textos que falam
 de datas e catástrofes, mas fixando o número
 preciso de papas da seita católica que se haveriam 
de suceder em Roma, desde a época que ele viveu 
até o fim dos tempos.



Constam essas profecias, de 112 sentenças curtas, 
fornecendo os caracteres dos papas católicos, 
desde Celestino II, em 1143, até o último pontífice,
 Pedro II, que ocupará o trono do Vaticano no meio
 de extremos sofrimentos mundiais.



Dessa vasta lista, citemos apenas os últimos 15
 papas que indicam o sinal do fim dos tempos e 
como eles eram designados por São Malaquias:



Peregrinus Apostolicus, Aquila Rapax, De 
Balneis Etruriae, Crux De Cruce, Lumen In
 Coeluo, Ignis Ardens, Religio Depopulata, 
Fides Intrepida, Pastor Angelicus, Pastor
 Et Nauta, Flos Florum, De Medietate Lunae, 
De Labore Solis, Gloria Olivae E Finalmente Petrus II.

II.
Papa Pio VI Peregrinus Apostolicus - Em 1775 foi
 eleito o papa Pio VI. Por ir contra o despótico
 Napoleão, esse papa foi expulso de Roma, sendo
 levado por esse imperador francês até Valença,
 morrendo ali. Ou seja, morreu exilado, como um 
peregrino apóstolo, longe de sua terra.


Pio VII Aquila Rapax - Esse papa, Pio VII, viveu 
sob o domínio militar de Napoleão Bonaparte, cujo
 símbolo foi uma águia imperial (aquila rapax 
significa águia de rapina, destruidora).



Gregório XVI De Balneis Etruriae - O papa
 Gregório XVI pertenceu à Ordem que São Romualdo,
 fundada em Balnes, na Etrúria, de modo que 
seu qualificativo é perfeitamente identificável
 pela sua origem religiosa.



Pio IX Crux de Cruce - Pio IX teve um pontificado
 que foi, de fato, uma dolorosa e pesada cruz.
 Este papa e Vitor Emanuel, sendo ambos da casa 
de Savóia (em cujos escudos se vê a cruz), 
sofreram e foram espoliados pela terrível revolução
 italiana. Morreu encerado no Vaticano. Ou seja, 
a "Cruz da Cruz" (o martírio de um papa que foi 
da casa dos Savóia).



Leão XIII Lumen in Coeluo - Leão XIII, apesar de 
seus excessos de conselhos, advertências e
 encíclicas, foi considerado um luzeiro para sua 
época, amante da ciência e das artes. Lumen
 in Coeluo significa luz no céu.



Pio X Ignis Ardens - O dístico completo que 
 Malaquias deu ao papa Pio X é: Ignis Ardens
 Funatus de Littore Veniet. Esse papa tinha no 
seu escudo uma estrela (ignis ardens), uma âncora 
(funatus, que quer dizer ancorado), e ele da margem 
do mar de Veneza (de littore veniet).



Bento XV Religio Depopulata - A Bento XV é 
atribuído, na profecia de São Malaquias, 
o dístico Ecce Religio Populata et Satanae Soboles 
Saevissima, que quer dizer: "Eis a religião 
despovoada e a raça cruel de Satanás". E 
Malaquias ainda acrescenta: Su, italiano liga! 
"De pé, liga italiana! A falta de amor,
 caridade e religiosidade assolou a Europa e o 
mundo durante a Primeira Guerra Mundial, matando
 milhões de pessoas. E após a Guerra veio a crise,
 a fome, a miséria, as pestes, o comunismo,
 a gripe espanhola... (Religio Depopulata, as 
religiões abandonadas, despovoadas, os corações
 cheios de ódio no mundo.)



Pio XI Fides Intrepida - Leia a frase usada para 
designar esse guia da seita católica: "Eis a 
fé que não estremece e a imolação predita. 
Vitória santa certíssima. Nosso santo padre Pio
 XI, Rei na Itália! Que a Cidade Santa tenha 
fé em seus méritos". Note que Malaquias usa a frase
"Rei na Itália" e não Rei da Itália. Por quê? Pelos 
Pactos de Latrão, Mussolini reconhece a 
soberania papal unicamente num pedaço de Roma, 
ou seja, no Vaticano: Um Rei na (ou seja, dentro da)
 Itália!



Pio XII Pastor Angelicus - Este papa, Pio XII
, reinante em 1942, era um grande amante
 da ciência, especialmente das ciências que
 estudavam os céus (ou seja, a morada dos anjos).
 Outra interpretação reza que esse papa era na verdade
 um mago negro, de alta estirpe em sua hierarquia
 negra. Portanto, era um "guia de anjos", porém
 de "anjos caídos". Muitos o chamaram de
 "O Papa Nazista".



João XXIII

Pastor et Nauta - João XXIII, homem de bondoso 
coração, foi guiado pela Grande Fraternidade
 Branca para tentar reconciliar as religiões
 monoteístas, por isso, sendo considerado um 
cultuador da fraternidade entre os homens, um 
verdadeiro Pastor. O termo Nauta (timoneiro) também
 refere-se a Veneza, cidade alagada, onde nasceu.
 Conhecedor da terrível "3ª Mensagem de Fátima", 
João XXIII lutou intensamente pela paz mundial,
 na época da Guerra Fria. Foi chamado por Malaquias
 de "O Rei Pacífico".


Paulo VI Flos Florum - Sua tradução é: "Flor 
das Flores", devido à flor-de-lis do escudo do 
papa Paulo VI.



João Paulo I De Medietate Lunae - Ou, Da Meia-Lua.
 O papa João Paulo I morreu um mês após se tornar papa.
 Diz um dos vários livros que contam sobre o 
caso deste pontífice que ele foi assassinado 
ao tentar "sanear" o banco do Vaticano e anular a 
influência da máfia italiana. São Malaquias inclui
 uma frase sobre este papa: Salve amore, pater
 nostro, mediatore sactissimo, presunta victima
 (Salve, amado pai, santo mediador, futura vítima).




João Paulo II De Labore Solis Optimo - Pelo excelente
 Trabalho do Sol. O papa João Paulo II foi um 
incansável trabalhador, tendo sido o papa que mais
 viajou em redor do mundo.



Bento XVI Gloria Olivae - O atual papa, Bento 16,
 que foi líder da Santa Inquisição e da Ordem dos 
Olivetanos, irá reinar em relativa paz. Sem muitas 
informações adicionais que caracterizem um 
pontificado agitado.



Hercólobus, o Papa do Fim dos Tempos Petrus II -
 O Grande Iniciado Malaquias usa a seguinte 
frase para explicar o momento desse papa: Tu, in 
desolacione suprema sede. Ecce Petrus Romanus, 
ultimus Dei veri Pontifex! Tradução: "Na suprema 
desolação do mundo, reinará Pedro, o Romano, o 
último papa do Deus verdadeiro!"



E o “profeta” termina a descrição dos acontecimento 
que se avizinham afirmando: Roma nefans destruitor
et judex tremendus judicabit triumphans omnes
 populos. Tradução livre: "Roma, a criminosa, será
 destruída e o Tremendo Juiz julgará triunfante
 todas as nações".



www.gnosisonline.org/Fim_dos_Tempos



Nós apenas copiamos os dois artigos acima. Não
 consideramos "São Malaquias" (nem Nostradamus,
 nem os papas ou os padres) santo e nem profet
a de Deus. Igualmente não acreditamos no tal
 Hercólubus. O motivo da postagem foi para 
mostrar que há muitas informações com a intenção
 de fazer desacreditar a Verdade revelada aos
 verdadeiros profetas. A única coisa que 
cremos, é que realmente este é o penúltimo papa 
e que o último papa será o responsável pela falsa
 paz (lobo vestido de Cordeiro) e posterior
 grande tribulação (besta) descritos na Bíblia.



"Transportou-me o anjo, em espírito, a um deserto
 e vi uma mulher montada numa besta escarlate, 
besta repleta de nomes de blasfêmia, com sete 
cabeças e dez chifres. Achava-se a mulher vestida
 de púrpura e de escarlata, adornada de ouro,
 de pedras preciosas e de pérolas, tendo na mão
 um cálice de ouro transbordante de abominações
 e com as imundícias da sua prostituição. 



Na sua fronte, achava-se escrito um nome,
 um mistério: BABILÔNIA, A GRANDE, A MÃE DAS 
MERETRIZES E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA". (Ap 17.3,5).



"O anjo, porém, me disse: Por que te admiraste? 
Dir-te-ei o mistério da mulher e da besta que
 tem as sete cabeças e os dez chifres e que 
leva a mulher: a besta que viste, era e não 
é, está para emergir do abismo e caminha para a
 perdição". 



Aqui está o sentido, que tem sabedoria: as sete 
cabeças são sete montes, nos quais a mulher está
 sentada. "E são também sete reis; cinco já 
caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e,
 quando vier, convém que dure um pouco de tempo. 
E a besta que era e já não é, é ela também o 
oitavo, e é dos sete, e vai à perdição". (Ap 17.7,11).



Aqui está o sentido, “As sete cabeças são sete 
montes nos quais a mulher está sentada”. Roma é
 conhecida como a cidade dos sete montes, ou 
sete colinas, continuando..."dos quais caíram
 cinco, um existe, e o outro ainda não chegou;
 e, quando chegar, tem de durar pouco..."



As sete cabeças são também sete reis. A cabeça é
o que comanda o corpo. O cabeça visível da igreja
 católica é o papa. Então, as sete cabeças são sete
 papas. Mas o anjo disse que as cabeças são 
“reis”. Elas representam então papas, que são 
também reis. 



Os papas sempre foram lideres e governadores
 da igreja Católica; mas nem sempre foram reis.
 Uma pessoa, para ser um rei, deve governar um país.
 Se alguém governa uma província ou um 
estado, é um governador, mas não um rei.
 A igreja Católica era apenas uma denominação
 religiosa desde sua fundação, até 1929. Neste
ano, o ditador Italiano Benito Mussolini deu
 para o papa Pio XI hectares de terra, os quais 
foi fundado o Estado do Vaticano, um país 
]independente e monárquico, cujo rei era o papa.



Pio XI, que era o papa quando esta mudança tomou 
lugar, tonou-se o primeiro papa “rei”. O anjo,
 explicando sobre os reis, disse que “cinco 
caíram, e um existe” Ele leva João para o tempo
 do sexto rei, o que nos mostra que a profecia
 seria entendida quando o sexto rei estivesse
 no trono do papado. A partir de Pio XI, o
 primeiro rei, os papas “reis” que se seguiram foram:



2 – Pio XII;
3 – João XXIII;
4 – Paulo VI;
5 – João Paulo I;
6 – João Paulo II.



João Paulo II foi o sexto rei, aquele descrito
 pelo anjo através das palavras: “um é”. Ele 
estava no poder no tempo apontado por João na
 visão. Centenas de pesoas nos Estados Unidos,
 Brasil, Argentina, e provavelmente em 
outros lugares, entenderam o que foi explicado
 até aqui nos anos noventa, quando João Paulo
 II estava no trono do Vaticano, cumprindo a 
profecia. “O outro ainda não chegou”. 



De acordo com a profecia, após a morte de João
 Paulo II, haveria outro papa “rei”, que, “quando
 vier, tem de durar pouco tempo”. O cardeal Josef
 Ratzinger, um homem de idade avançada que não pode
 se manter no trono do papado por muitos anos como 
o fez João Paulo II, foi eleito, tornando-se 
Bento XVI, o sétimo rei, cumprindo a profecia.
 Os próprios jornais confirmam que os próprios
 cardeais católicos esperam que ele irá reinar
 apenas pouco tempo.



“São Paulo (Folhapress) - O favoritismo de Ratzinger,
 além do apelo conservador, se dá pela idade 
avançada e pela experiência: aos 77 anos, 
dificilmente o cardeal alemão exerceria um papado
 extenso.



"E a besta, que era e não é, também é ele, o 
oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para
 a perdição". (Ap 17,11) De acordo com a explicação
 acima, o oitavo rei é a besta. O que isto
 significa? Quem será o oitavo rei?



Em Apoc. 17:11, está escrito que o oitavo rei é 
a besta, e é um dos sete reis anteriores. 
Em Apoc. 13, que apresenta a mesma besta de Apoc.
 17, nós lemos as seguintes palavras: a mesma 
besta que foi vista em Apocalipse 17 é apresentada. 
A profecia afirma que o mundo se maravilhará 
quando ver uma das cabeças da besta (um dos papas “reis”),
 que fora “ferida de morte e esta ferida mortal foi curada”. 



Sim, o mundo se maravilhará quando ver um papa 
“ressuscitado dentre os mortos”. A igreja Católica
 diz que o papa tem as chaves da morte e do inferno,
 e Satanás irá, aparentemente, “provar” que isto
 é verdade através deste engano. Esta 
ressurreição irá maravilhar o mundo ao máximo.
 Como irá João Paulo II ressuscitar?



A profecia descreve que Satanás irá enganar os
 que “habitam sobre a terra”. A profecia afirma
 que Satanás engana os ímpios que habitam sobre
 a terra, por meio dos milagres que ele tem 
poder para fazer, e dis para os ímpios para que
 eles façam uma “imagem à besta”. Qual besta? 
“Àquela que, ferida à espada, sobreviveu”, o
 oitavo rei.



Nós já vimos que João Paulo II foi aquele que 
recebeu esta ferida, no atentado de 1981. Satanás
 diz para os ímpios que façam uma imagem de 
João Paulo II. Estaria a profecia referindo-se ao
 fato de que Satanás estaria dizendo para o povo
 fazer uma estátua de João Paulo II? Não, nós vemos
 que não é este o caso, quando lemos o próximo 
versículo 15: "...e lhe foi dado comunicar fôlego
 à imagem da besta, para que não só a imagem 
falasse, como ainda fizesse morrer quantos não
 adorassem a imagem da besta".

Olhando a aparição do Papa Francisco, vi em seu 
semblante, o mesmo espirito "manso" que Papa 
João Paulo II carregava... Achei engraçado. 
Mas lendo a Palavra, percebi o que significa o 
" ressurgir "




Postar um comentário